"NÃO FOI O ELO MAIS FRACO": VÍTOR PINTO DEFENDE TITULAR DE AMORIM DEPOIS DO SPORTING - PORTO
Jornalista perspetivou um grande futuro a futebolista dos verdes e brancos, apesar da exibição na final da Taça de Portugal
Redação Leonino
Texto
27 de Maio 2024, 10:52
Rúben Amorim, Sporting, Vítor Pinto, Record, Porto

Diogo Pinto foi titular na final da Taça de Portugal, diante do Porto. O guarda-redes cometeu uma grande penalidade, já no prolongamento, que ditou a derrota do Sporting. Vítor Pinto não aponta o dedo ao jovem, que fez apenas o terceiro jogo como sénior.

“Um guarda-redes de 19 anos, que dá o passo em frente quando pesos-pesados como Adán ou Franco Israel estão indisponíveis, só pode ser louvado. Foi dando conta do recado ao longo do encontro. Não tremeu, nem deu a ideia de ser o elo mais fraco”, admitiu, ao jornal Record.

“Calculou mal uma saída de baliza e isso penalizou os leões, da mesma forma que não antecipou o penálti de Taremi cobrado para o meio. Uma lição excecional para cimentar uma grande carreira”, atirou Vítor Pinto, perspetivando um bom futuro ao ‘camisola 51’ do Sporting.

Diogo Pinto foi o escolhido por Rúben Amorim para ser opção inicial na baliza verde e branca, fruto das lesões de Antonio Adán –  lesionado na coxa esquerda – e de Franco Israel – em recuperação após uma cirurgia que o impediu de jogar os últimos jogos.

Na partida frente ao Estoril (1-0), o camisola 51 fez história e sagrou-se campeão nacional pelos leões. Esta temporada, Diogo Pinto, antes da estreia pela equipa A no passado fim de semana, só havia alinhado sob comando técnico de Filipe Çelikkaya. Em 2023/24, o atleta somava apenas oito jogos, todos eles na Liga 3. Depois de ter sido titular frente ao Porto, o guardião soma, agora, três partidas sob comando de Amorim – tendo sido utilizado durante 293 minutos e sofrido dois golos.

  Comentários