Corner Left

Receba, em primeira mão, as principais notícias do Leonino no seu WhatsApp!

WhatsApp Seguir

Clube

QUASE METADE DO GRUPO PARA IMPLEMENTAR O I-VOTING É DA DIREÇÃO

Dirigido por Rogério Alves, já são conhecidos os restantes membros do grupo que irá apresentar a revisão estatutária

Leonino - Onde o Sporting é notícia
Leonino - Onde o Sporting é notícia

  |

Icon Comentário0

Depois de ter sido anunciado, em comunicado pelo Clube, que teria sido escolhido um grupo de trabalho para dirigir a a revisão estatutária, que consiste na apresentação de I-Voting aos Sócios do leoninos (LER AQUI).

No momento desse mesmo comunicado, não foram revelados os membros do grupo em causa, apenas quem havia sido escolhido por Frederico Varandas, Presidente do Sporting CP, para o dirigir: Rogério Alves, Presidente da Mesa da Assembleia-Geral (MAG). No entanto, já foram avançados os outros nomes desse mesmo grupo de trabalho que, por sua vez, quase metade dos mesmos são membros do Conselho Diretivo.


São, portanto, nove membros: João Palma (vice-presidente da MAG), José Tomé de Carvalho, Pedro Almeida Cabral e José Costa Pinto (secretários), João Sampaio (vice-presidente), Alexandre Ferreira, Miguel Nogueira e André Bernardo (vogais).


De relembrar que, a revisão estatutária terá obrigatoriamente de ser submetida à aprovação dos Sócios do Sporting CP em Assembleia Geral, uma  vez que precisará de uma maioria de 3/4 para que possa ser instaurada.


Clube

SPORTING CONFIRMOU! PRÓXIMA ASSEMBLEIA GERAL ESTÁ MARCADA PARA...

Dirigentes verdes e brancos têm data para a votação de dois pontos também já revelados

Próxima Assembleia Geral do Sporting é ainda este mês
Próxima Assembleia Geral do Sporting é ainda este mês

  |

Icon Comentário0

João Palma, Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, confirmou, esta quarta-feira, 19 de junho, a data para a qual está marcada a próxima reunião magna dos leões, na qual irá a votos o orçamento para 2024/25 e as contas consolidadas de 2022/23: 30 de junho.

"Sim, a convocatória já seguiu para publicação, que será feita na 5.ª feira. Confirmo que será no dia 30 de junho, com os pontos que refere em discussão, o orçamento e as contas consolidadas. Os documentos vão ficar disponíveis para os Sócios, quer no balcão de atendimento, no estádio, quer pelos meios habituais", referiu o responsável leonino, em declarações ao jornal Record.


Como tem sido habitual, a AG verde e branca deverá decorrer no Pavilhão João Rocha, no entanto, ainda não existem mais informações, sendo que as mesmas serão reveladas na edição desta semana do Jornal Sporting, assim como a referida convocatória.


No mesmo momento, João Palma ainda fez o balanço da última temporada do Clube de Alvalade: "O que eu sinto é representativo daquilo que sentem todos os Sócios do Sporting, uma grande alegria em função da performance desportiva, quer no futebol, quer nas modalidades, com êxitos atrás de êxitos, que nos enchem de orgulho", pode ler-se.

Recorde-se que, de resto, o PMAG ainda justificou os motivos que o fizeram indeferir o requerimento de um grupo de Sócios de que fosse incluído como ponto de discussão na próxima AG o fim do voto eletrónico, sendo que o responsável acabou por considerar a mesma uma sugestão que iria causar "balbúrdia" (Saiba mais AQUI).



Clube

SPORTING INDEFERE PEDIDO DE ACABAR COM VOTO ELETRÓNICO E JOÃO PALMA ATIRA: "ERA CRIAR BALBÚRDIA"

Presidente da Mesa da Assembleia Geral dos leões não se poupou em palavras para explicar a sua decisão

João Palma, Presidente da MAG do Sporting, esclareceu os seus motivos
João Palma, Presidente da MAG do Sporting, esclareceu os seus motivos

  |

Icon Comentário0

Um grupo de Sócios enviou um requerimento ao Sporting no qual pedia que, na ordem de trabalhos da próxima Assembleia Geral dos leões, fosse incluído na ordem de trabalhos um ponto relativo à alteração do regulamento, de modo a eliminar o voto eletrónico e promover o regresso ao papel. João Palma, Presidente da MAG verde e branca, explicou os motivos que o levam a indeferir o pedido.

"Desde logo porque o requerimento não tem cabimento ao abrigo da disposição estatutária que os requerentes invocaram para o apresentar, os números 2 a 4 do artigo 47.º dos estatutos. Estas são as razões formais. Depois porque a matéria que eles pretendem ver discutida, a questão da alteração ao regulamento da Assembleia Geral, é reservada pelos estatutos à própria Mesa da AG. Só a AG tem competência para proceder a alterações ao regulamento da AG e tem de ser a Mesa a elaborar, apresentar e submeter esse documento à aprovação dos sócios", começou por dizer, em declarações ao jornal Record.


"Sinto-me legitimado para pronunciar-me sobre o mérito das propostas, digamos assim, porque são matérias que dizem respeito ao funcionamento da Mesa. Uma delas é acabar com o voto eletrónico presencial, que tem dado provas de bom funcionamento e já existe desde antes de 2018; não há nenhuma razão para o alterar. Além disso, há o sentimento dos próprios sócios. Na AG de outubro, a proposta do Conselho Diretivo relativa ao iVoting foi votada por 3.771 sócios: 69,80% dos votantes, correspondentes a 71,65% dos votos, foram a favor do iVoting, ou seja, do alargamento do voto eletrónico, presencial e remoto, com o qual este grupo de sócios pretende agora terminar. Apesar de a proposta não ter sido aprovada, porque exigia uma maioria qualificada (75%) de votos e votantes, não faz nenhum sentido que se tente aqui voltar atrás, quando os sócios foram maioritariamente noutro sentido, da modernização do clube, que é aquilo que os órgãos sociais, e nomeadamente a Mesa da AG, pretendem fazer. No fundo, era andar para trás", acrescentou, atirando, de seguida, para a questão dos Núcleos.


"Um dos problemas que se coloca é exatamente esse. Nós queremos unir o Sporting, que tem um passado com imensas vicissitudes, sobretudo com muitos conflitos internos. Neste momento, fruto do trabalho de consolidação financeira do Conselho Diretivo e de vitórias, queremos contribuir para que os Sportinguistas se sintam cada vez mais unidos e envolvidos neste projeto. Se esta proposta fosse aceite, levaria a escolher alguns núcleos, necessariamente preterindo outros e, portanto, ajudaria a criar clivagens dentro do universo Sportinguista e dos próprios núcleos, que é tudo aquilo que nós queremos evitar, por bom-senso. Depois, há a questão prática. É impossível fazer umas eleições com mesas de voto nos núcleos. A AG tem um presidente, um vice-presidente e três secretários, somos cinco membros efetivos. Como é que os membros da Mesa, que têm de estar presentes no ato eleitoral, poderiam desdobrar-se por tantos locais? Era impossível. Se o que se quer é dar mais segurança ao voto, temos reparado, até em clubes congéneres, em situações verdadeiramente caricatas, de transporte de urnas fora de horas e sabe-se lá por quem… Era criar balbúrdia onde a balbúrdia não existe", defendeu.

A terminar, João Palma ainda respondeu se, durante o atual mandato, o Sporting pensa em colocação em prática o voto eletrónico remoto: "A minha opinião, como sócio do Sporting e presidente da Mesa, é que o voto eletrónico presencial e remoto, à distância, a partir de qualquer local onde se encontre um Sportinguista, seria um salto muito importante na democratização do clube, porque permitiria que todos os sócios pudessem participar ativamente na vida do clube, sobretudo nas assembleias gerais eleitorais, e isso seria uma conquista muito importante. Agora, o voto eletrónico, que eu efetivamente defendo e gostaria de ver implementado, não é uma iniciativa da Mesa da AG nem do seu presidente. Foi, já em outubro, uma iniciativa do Conselho Diretivo, e o próprio dr. Frederico Varandas, logo no momento dessa AG, anunciou que voltaria ao tema, até em função da maioria expressiva que votou a favor. Portanto, é uma iniciativa do CD, não só quanto à sua apresentação como quanto à oportunidade".




Futebol

ESTÁ FECHADO! VARANDAS CONTINUA NO MERCADO: SPORTING TEM NOVO REFORÇO PARA A ESTRUTURA DO CLUBE

Clube de Alvalade mexe nesta janela de transferências

  |

Icon Comentário0

Gonçalo Vilela Santos vai voltar ao Sporting para integrar a estrutura de comunicação do Clube, num cargo que não será o de diretor, extinto com a saída de Miguel Braga, em maio.

O responsável é quadro da LPM Comunicação e acompanhou Frederico Varandas entre 2018 e 2019, no início do seu primeiro mandato. Durante largos anos foi jornalista na Media Capital e Grupo Imprensa.


O Presidente do Clube verde e branco tem assim novo reforço na estrutura do clube, após ter feito várias contratações desde o futebol até às modalidades, num ano em que o Sporting quer conquistar múltiplos troféus para o Museu.


Varandas foi reeleito Presidente do Sporting em março de 2022, com 85,8% dos votos, derrotando os candidatos Ricardo Oliveira e Nuno Sousa.


envelope SUBSCREVER NEWSLETTER


+ notícias
MOVIMENTO HOJE E SEMPRE SPORTING PEDE ALTERAÇÕES AOS ESTATUTOS E MUDANÇA NO MÉTODO DE VOTO
Clube

MOVIMENTO HOJE E SEMPRE SPORTING PEDE ALTERAÇÕES AOS ESTATUTOS E MUDANÇA NO MÉTODO DE VOTO

 

Icon Comentário0
OBRAS EM ALVALADE A TODA A VELOCIDADE: MUDANÇAS RÁPIDAS TÊM DADO O QUE FALAR ENTRE ADEPTOS DO SPORTING
Clube

OBRAS EM ALVALADE A TODA A VELOCIDADE: MUDANÇAS RÁPIDAS TÊM DADO O QUE FALAR ENTRE ADEPTOS DO SPORTING

 

Icon Comentário0
REDES SOCIAIS NÃO PERDOAM: ADEPTO DO SPORTING 'APANHADO' EM FILA DO... PORTO
Clube

REDES SOCIAIS NÃO PERDOAM: ADEPTO DO SPORTING 'APANHADO' EM FILA DO... PORTO

 

Icon Comentário0