“RUI PATRÍCIO ESTAVA NUMA EXCELENTE FORMA E DEMONSTRAVA-O EM TODOS OS JOGOS”
Em entrevista exclusiva ao Leonino, Emiliano Insúa fez rasgados elogios a Rui Patrício e revelou que gostou bastante de trabalhar com Domingos Paciência e Ricardo Sá Pinto
Redação Leonino
Texto
2 de Junho 2020, 09:00

L: Enquanto estiveste no Clube, foste orientado por cinco treinadores (Domingos Paciência, Ricardo Sá Pinto, Oceano Cruz, Franky Vercauteren e Jesualdo Ferreira). Achas que essa instabilidade é um dos fatores que impede que o Clube ganhe mais regularmente?

EI: Para os jogadores, não é nada positivo estar constantemente a mudar de treinador porque nunca te consegues adaptar a uma forma de jogo. Na primeira época, estivemos muito bem até à saída do Domingos Paciência, que foi algo estranha porque, na realidade, a situação não era assim tão negativa. Acho que não era o momento para despedir o treinador. Quando chegou, o Sá Pinto ajustou-se muito rapidamente ao grupo. Começámos a jogar de uma forma mais organizada e mais tática. Nos últimos seis meses, foi uma grande confusão. O Sá Pinto foi despedido e chegou o Vercauteren.

L: Com qual gostaste mais de trabalhar?

EI: Gostei bastante de trabalhar com o Domingos Paciência e com o Ricardo Sá Pinto, que era muito próximo dos jogadores e tentava sempre puxar-nos para cima. Era um treinador muito emocional e isso ajudava-nos.

L: No período em que estiveste no Sporting CP, quais os melhores jogadores com que tiveste oportunidade de jogar?

EI: Havia muito bons jogadores, mas o Rui Patrício foi muito importante, sobretudo no primeiro ano. Estava numa excelente forma e demonstrava-o em todos os jogos. Acabou por ser chamado à seleção e foi mesmo ao mundial. O João Pereira também fazia um excelente trabalho pelo corredor direito. O Ricky van Wolfswinkel também fez muitos golos. Gostei muito de jogar com o Capel e fazíamos uma excelente parceria no corredor esquerdo.

  Comentários