DERROTA INJUSTA NO FIM DA PRIMEIRA FASE
Vitória marcou de pénalti na primeira parte e pouco mais fez
Rodrigo Soares Fernandes
Texto
8 de Fevereiro 2020, 16:07
summary_large_image

Foi com Francisco Geraldes e Pedro Mendes a titulares que a equipa de sub-23 entrou em campo para a última jornada da fase regular da Liga Revelação frente ao Vitória FC.

A equipa de Leonel Pontes entrou por cima do jogo e foi somando lances de perigo, ainda que sem os conseguir finalizar com perigo. Geraldes queria mostrar serviço e esteve em evidência, ainda que por vezes não tenha soltado a bola quando devia.

Foi totalmente contra a corrente do jogo que o Vitória abriu o marcador. No primeiro lance que a Setúbal entrou na área leonina, João Silva derrubou João Tomás e o árbitro assinalou grande penalidade. Leonardo Chão foi chamado a marcar e não desperdiçou.

Se antes do golo, os leões dominavam, mas com a desvantagem no marcador o jogo equilibrou-se, ainda que com maior ascendente do Sporting CP. Os únicos lances de perigo pertenceram a Joelson Fernandes, mas o guardião vitoriano evitou o empate em ambos os casos. Desvantagem de um golo ao intervalo, que era totalmente injusta.

A segunda parte começou como a primeira, equilibrada, mas com ascendente do Sporting CP. Pedro Mendes rematou com algum perigo ao minuto 55. Três minutos depois Bruno Tavares mandou a bola à barra num livre, que permitiu um contra-ataque que obrigou Hugo Cunha a uma boa defesa.

Desde este contra-ataque o jogo só deu Sporting. Primeiro foi Joelson aos 61’ que esteve perto do golo, com a bola a passar por cima da barra e aos 74’ foi Tiago Tomás também está perto do golo, obrigando a mais uma boa defesa. Pouco depois o avançado voltou a estar perto do golo, mas foi a última oportunidade real de golo.

Derrota por 1-0 injusta para os comandados de Leonel Pontes. Se ao intervalo a vantagem sadina já era injusta, nesta segunda parte o domínio dos leões ainda foi maior, mas sem nunca conseguir marcar.

Fotografia de arquivo – Sporting CP.

  Comentários