“ERA NECESSÁRIO TOMAR DECISÕES DE SAÚDE”
Em entrevista ao Record, Miguel Sampaio, responsável pelo departamento de psicologia e pedagogia da Academia Sporting, explicou como está a funcionar a formação leonina
Duarte Pereira da Silva
Texto
3 de Abril 2020, 13:15
summary_large_image

A Federação Portuguesa de Futebol decidiu cancelar os campeonatos dos escalões de formação o que obrigou os diversos clubes a procederam a alterações na sua organização. Em entrevista ao diário desportivo Record, Miguel Sampaio, responsável pelo departamento de psicologia e pedagogia, explicou como está o Sporting CP a reorganizar-se.

“Concordo inteiramente com a decisão! Todos temos pena, mas era absolutamente necessário tomar decisões de saúde, e que ajudassem os clubes e as famílias a reorganizar-se”, começou por dizer Miguel Sampaio. Sobre a natural frustração que esta decisão pode causar aos atletas, o responsável leonino explicou qual a abordagem que tem sido adotada para com os atletas: “O nosso discurso foi que esta época valeu a pena pois permitiu-lhes evoluir como jogadores e como pessoas. Também assinalámos que isto os torna mais fortes e resilientes. E ainda os lembrámos que estão melhores jogadores hoje, e que, entretanto, se tornaram mais criativos no processo de treino”.

O responsável pelo departamento de psicologia e pedagogia recorda que toda esta situação começou a ser gerida ainda no final de fevereiro: “Decidimos colar essas informações na Academia quando ainda tínhamos lá os residentes, e sensibilizámos os atletas que se cumprimentavam muito e partilhavam os espaços comuns”. Contudo, Miguel Sampaio confidenciou que rapidamente os leões se aperceberam que “mais tarde ou mais cedo, teríamos de mandá-los para casa. Iniciámos uma fase de organização interna com todas as áreas para definirmos os prazos do final dos treinos e do regresso a casa”.

Relativamente aos atletas mais carenciados, Miguel Sampaio garante que o Sporting CP está a tomar todas as medidas necessárias para garantir o bem-estar dos jogadores: “Em relação aos pais que nos preocupam temos mais contacto e, caso seja necessário – coisa que ainda não aconteceu – iremos distribuir comida ou arranjar-lhes um vale para irem ao Pingo Doce pois temos um protocolo assinado”.

Por fim, sobre a hipótese da realização de uma pré-época antes do retomar das competições, o responsável leonino defende que, apesar dos planos de treino que os atletas têm seguido, será essencial que a mesma aconteça: “Uma coisa é estarmos em casa a fazer algum treino físico; outra é estar num campo ou competição. Os mais jovens também terão de fazer sempre uma pré-época pois muitos já passam várias horas no treino e no ginásio”.

Fotografia Sporting CP

  Comentários