"INFELIZMENTE NO SPORTING JÁ É UMA TRADIÇÃO”: ANTIGO JOGADOR ABORDA PRESENÇA DO CLUBE NA SELEÇÃO
Atleta que participou no Mundial de 1986 reflete sobre a convocatória de Roberto Martínez
Redação Leonino
Texto
31 de Maio 2024, 10:16
Roberto Martínez, Sporting, Portugal

No passado dia 21 de maio, Roberto Martínez elegeu 26 jogadores para representarem a Seleção Nacional no Campeonato Europeu 2024. Desta forma, os convocados vão apresentar-se no próximo domingo, na Cidade do Futebol, para começarem a preparar os particulares com a Finlândia, Croácia e República da Irlanda antes de partirem em direção à Alemanha. Neste lote de jogadores só é possível registar a presença de um jogador do Sporting: Gonçalo Inácio. Neste sentido, com base numa análise divulgada pelo jornal Record, é um facto que os leões têm vindo a perder espaço na formação das quinas.

Morato, antigo jogador do Sporting que participou no Mundial de 1986 no México, mostrou-se “surpreendido” com a convocatória de Martínez. “Infelizmente no Sporting já é uma tradição. Lembro-me que na nossa época o Sporting tinha grandes equipas e não era campeão, e agora mesmo sendo campeão tem poucos jogadores na Seleção Nacional. Estou certo de que se o Benfica ou o Porto tivessem ganho o campeonato teriam mais jogadores convocados”, afirma em conversa com o diário desportivo.

Historicamente, o Sporting sempre foi um dos principais fornecedores das equipas nacionais, juntamente com o Porto e com o Benfica, no entanto, tem perdido influência na equipa principal ao longo dos anos. Por exemplo, no Mundial de 1966 o clube de Alvalade esteve representado por oito jogadores, máximo que esteve perto de ser igualado no Mundial do Japão/Coreia, em 2002. Enquanto no Mundial 2022 no Qatar, Fernando Santos, não levou qualquer jogador do emblema que treinou na época de 2003/04.

A gradual descida do número de jogadores do Sporting na Seleção Nacional pode ser explicada pelo baixo poder económico dos clubes portugueses que, desde o início da década de 90, começaram a sentir dificuldade em segurar os maiores talentos, num primeiro plano para as ligas mais competitivas como a inglesa, espanhol e italiana e, recentemente, para campeonatos como a Arábia Saudita.

Os leões têm sido vítimas da qualidade da sua formação, isto é, anualmente, o Sporting tem sempre de vender um ou dois dos seus principais jogadores. Exemplo disto é o primeiro Mundial 2022, que mesmo não contando com nenhum jogador dos verdes e brancos, no lote de 26 jogadores chamados por Fernando Santos havia oito jogadores com o selo da Academia: Rui Patrício, Nuno Mendes, João Palhinha, João Mário, Matheus Nunes, William Carvalho, Cristiano Ronaldo e Rafael Leão.

  Comentários