LUZ VERDE NA ESTREIA DE AMORIM
Andraž Šporar e Luciano Vietto apontaram os golos da vitória do Sporting CP, por 2-0, frente ao Desportivo das Aves
Duarte Pereira da Silva
Texto
8 de Março 2020, 19:39
summary_large_image

O Sporting CP recebeu e venceu o Desportivo das Aves, por 2-0. Apesar de ter ficado a jogar com mais dois jogadores desde os 20 minutos, os leões só inauguraram o marcador no segundo tempo. Andraž Šporar, aos 62 minutos, e Luciano Vietto, aos 65, apontaram os golos do triunfo verde e branco. Com este triunfo – o quinto consecutivo no Estádio José de Alvalade – o conjunto de Rúben Amorim soma agora 42 pontos e ocupa o quarto lugar da Liga NOS.

Homenagem às leoas, Dolores Aveiro, Maria José Valério e Cantinho do Morais

Ainda antes do apito inicial, fruto do Dia Internacional da Mulher, houve tempo para uma homenagem às leoas verdes e brancas. Logo de seguida, uma pequena mensagem de melhoras a Dolores Aveiro que, recentemente, sofreu um AVC. Todavia, estava para vir um momento de alguma fricção entre os adeptos presentes no Estádio José de Alvalade. Quando Maria José Valério subiu ao relvado, foi assobiada por todo o estádio porque teceu rasgados elogios a Frederico Varandas. Perante a vaia de que foi alvo, a cantora não se rogou e afirmou “podem assobiar à vontade”.

Agressividade avense valeu duas expulsões nos primeiros 20 minutos
Indo ao que realmente interessa, ou seja, ao futebol jogado, Rúben Amorim, na estreia, manteve-se fiel às suas ideias e optou por um 3-4-3. Tiago Ilori, pela direita, Sebastián Coates, no meio, e Jérémy Mathieu, pela esquerda, formavam a defesa verde e branca. No entanto, no momento defensivo, o Sporting CP atuava com uma linha de quatro homens, com Mathieu a descair para a lateral esquerda e Stefan Ristovski a cobrir o corredor direito. Para a frente, Wendel e Battaglia pisavam zonas centrais do terreno. Luciano Vietto, à direito, Andraž Šporar, no meio, e Gonzalo Plata, pela esquerda, eram as setas apontadas à baliza do Desportivo das Aves.

O jogo começou com os comandados de Amorim a pressionarem alto e a terem mais bola, mas a não serem capazes de ferir os avenses. A bola circulava rápido, com Vietto e Plata, por dentro, a tentarem destabilizar as marcações da turma de Nuno Manta Santos. Contudo, aos dez minutos, Rúben Macedo entrou de sola sobre Wendel. Num primeiro momento, Manuel Oliveira optou por mostrar apenas o cartão amarelo ao extremo português, mas, depois de ter sido chamado à atenção pelo VAR, exibiu o cartão vermelho ao avense. Decisão correta da equipa de arbitragem. Luiz Fernando, por protestos, viu o cartão amarelo, que viria a sair-lhe bem caro pouco depois.

Porém, mesmo com menos um homem, a primeira grande ocasião de golo foi para o Desportivo das Aves. Aos 15 minutos, num lançamento em profundidade, Luís Maximiano, na tentativa de cobrir o espaço nas costas da defensiva leonina, falhou por completo o corte e a bola sobrou para Mato Milos, que rematou frouxo. Porém, a vida da equipa nortenha haveria de ficar ainda pior. Aos 20 minutos, Luiz Fernando travou um contra-ataque do Sporting CP e viu o segundo cartão amarelo e o respetivo vermelho. Novamente, decisão correta da equipa de arbitragem. Aos 25 minutos, decisão controversa de Rúben Amorim. Numa clara tentativa de atribuir mais poder de fogo ao ataque, o treinador leonino optou por retirar Stefan Ristovski do jogo e lançou Jovane Cabral. No momento da saída, o macedónio pareceu não compreender a substituição e foi direto para o balneário.

Com apenas nove elementos, o Desportivo das Aves recuou, ainda mais, as linhas e encurtou o espaço à turma de Alvalade. Em abono da verdade, deve dizer-se que os leões, mesmo com superioridade numérica, não estavam a ser capazes de criar qualquer situação de perigo. Naturalmente, perante uma exibição pouco ou nada conseguida, os adeptos manifestaram a sua insatisfação e os jogadores pareceram, em alguns momentos, afetados com os assobios e cânticos vindos das bancadas.

Porém, até ao intervalo, o Sporting CP dispôs de duas excelentes oportunidades para marcar. Primeiro, Andraž Šporar, que, após um ressalto, tirou um homem do caminho, mas, já dentro da grande área, rematou por cima. Logo de seguida, numa jogada coletiva bastante bem conseguida, Vietto, de longe, atirou com estrondo ao poste da baliza defendida por Quentin Beunardeau. Apesar destes dois lances de perigo, ao intervalo, o nulo prevalecia. Os rapazes de verde e branco tinham mais bola (73%) e mais remates (11 contra 2), mas tardavam em adiantar-se no marcador.

Sporar e Vietto trouxeram a tão desejada tranquilidade

Ao intervalo, certamente nada satisfeito com a prestação dos seus jogadores, Rúben Amorim voltou a mexer na equipa e lançou Francisco Geraldes para o lugar de Jérémy Mathieu. Logo nos primeiros minutos do segundo tempo, Jovane Cabral rematou forte, mas Beunardeau respondeu com uma boa defesa. Não obstante esta situação, o Sporting CP continuava com grandes dificuldades em penetrar na defesa avense e a solução mais frequente acabavam por ser cruzamentos ou remates de fora da área.

Depois de muita insistência, os leões conseguiram (finalmente!) chegar ao golo. Aos 62 minutos, Wendel, no corredor esquerdo, cruzou com conta, peso e medida para Andraž Šporar, que, com um cabeceamento certeiro, fez o 1-0. Foi o terceiro golo do avançado esloveno com o leão rampante ao peito.

Logo de seguida, aos 65 minutos, o Sporting CP voltou a marcar. No flanco esquerdo, Jovane Cabral cruzou, mas Afonso Figueiredo cortou a tentativa do extremo leonino com a mão e Manuel Oliveira não teve grandes dúvidas em assinalar grande penalidade. Na conversão, Luciano Vietto não facilitou e fez o 2-0. Foi o oitavo golo do argentino com a listada verde e branca.

Até ao final, os leões limitaram-se a gerir o ritmo da partida e, apesar de terem disposto de algumas ocasiões para chegar ao 3-0, mas o marcador não voltou a mexer até ao apito final do árbitro.

Desta feita, e perante 26.272 leões e leoas nas bancadas, o Sporting CP venceu o Desportivo das Aves por 2-0 e voltou aos triunfos – o quinto consecutivo no Estádio José de Alvalade. Com esta vitória, os rapazes de verde continuam no quarto lugar da Liga NOS, com 42 pontos, e aproveitam os deslizes de Rio Ave e Famalicão, com 38 e 37 pontos, respetivamente.

Na próxima jornada, os comandados de Rúben Amorim deslocam-se até ao terreno do Vitória de Guimarães. A partida realiza-se dia 14 de março (sábado), pelas 20h30.

  Comentários