“NÚCLEOS SÃO BASE QUE SUSTENTA ESSÊNCIA DO SPORTING”
Em entrevista ao Record, Maria Serrano falou sobre a importância dos núcleos no universo verde e branco e destacou desafios para o futuro
Redação Leonino
Texto
13 de Abril 2020, 15:08

Maria Serrano, Vice-Presidente do Sporting CP responsável pelos núcleos, concedeu uma entrevista ao jornal Record onde abordou os desafios para o futuro, o papel do Clube na luta contra a Covid-19, entre outros temas.

“Os núcleos são indiscutivelmente a base que sustenta a essência do Sporting CP, como instituição nacional e internacional. Comprometi-me a dar seguimento ao trabalho que vinha a ser feito. Para um clube com mais de três milhões de adeptos, a proximidade e a ligação aos núcleos são fatores extremamente importantes. Existem 175 núcleos legalizados, espalhados por 15 países, nos cinco continentes. O Conselho Diretivo tem feito uma aposta forte nesta área, essencial também no apoio às modalidades, tendo em vista a dinamização da marca Sporting. Num futuro próximo, os núcleos vão ter mais força e autonomia”, começou por dizer Maria Serrano.

Relativamente a iniciativas promovidas pela Fundação Sporting no combate ao coronavírus, a Vice-Presidente Leonina lembrou que já existem muitas iniciativas no terreno, mas os leões estão a trabalhar noutras ações de solidariedade: “A Fundação está a desenvolver várias iniciativas com os núcleos do Sporting CP. Estamos ainda a desenvolver a campanha ‘Fica em Casa, Fazemos as Compras por Ti’. Neste momento, contamos já com 40 núcleos do Sporting que se voluntariaram para ajudar na compra e entrega ao domicílio de bens essenciais a quem mais necessita e faça parte dos designados grupos de risco. Adquirimos também material de proteção para doar à União das Misericórdias. Ao todo, vamos entregar 120 mil máscaras e 80 mil pares de luvas aos trabalhadores que cuidam de pessoas com deficiências profundas e perturbações mentais. Ajudaremos sempre dentro das possibilidades”.

Quanto ao papel da mulher no mundo desporto, Maria Serrano considera que a mesma é uma realidade, mas, simultaneamente, diz que é um orgulho ser a primeira mulher Vice-Presidente do Sporting CP: “A fraca participação da mulher no fenómeno desportivo é uma realidade internacional, como todos sabem. Eu tinha a perfeita noção de que, se fosse eleita, seria a primeira mulher vice-presidente do clube. É com enorme orgulho que encaro este percurso que começou no trabalho solidário da Fundação Sporting. É uma missão enriquecedora, sempre com o objetivo de ajudar os que mais precisam”.

Por fim, Maria Serrano confessou também que o atual Conselho Diretivo pretende implementar o voto eletrónico: “É uma medida que queremos implementar. Este período que estamos a viver demonstra, especialmente, a importância e necessidade, não só para o Sporting CP, mas para o País, de disponibilizar o acesso à votação eletrónica remota. Essa possibilidade, como se sabe, está dependente da alteração dos estatutos do clube. É um processo que terá de ser conduzido pela Mesa da Assembleia Geral e, posteriormente, aprovado pelos Sócios”.

  Comentários