SPORAR NÃO CHEGOU PARA VENCER NO BERÇO
Bis do atacante esloveno não foi suficiente para conquistar os três pontos aos leões no regresso da Liga NOS, terminando num empate a duas bolas em Guimarães
Maria Pinto Jorge
Texto
4 de Junho 2020, 23:13
summary_large_image

A 25.ª jornada de Liga NOS, que marcava o regresso do Sporting CP pós-pandemia, esperava-se dura, e assim foi. Os leões foram até à Cidade Berço, em Guimarães, onde encontraram um Vitória SC muito coeso e confiante. Ainda assim, Andraz Sporar mostrou-se de pé quente, com o esloveno a bisar e a ser a principal figura leonina na partida. A terminar a partida com menos um elemento, depois da expulsão de Joseph, o Vitória SC não vacilou e conseguiu segurar o empate a duas bolas.

O silêncio e o meter (novo) óleo na engrenagem

Com o Estádio D. Afonso Henriques totalmente vazio, nesta noite de quinta-feira (4 de junho), o silêncio foi mesmo feito ainda antes do apito inicial, com um minuto dedicado aos falecimentos provocados pelo Covid-19.

Rúben Amorim, treinador dos leões, trouxe surpresas logo no seu onze inicial. Com Matheus Nunes e Eduardo Quaresma a entrarem em campo, os leões optaram por jogar com três centrais, algo que acabou por fazer com que a segurança do meio campo fosse fraca.

O início da partida foi mesmo dominada pelos homens de Ivo Vieira que, em apenas três minutos, arrecadaram dois livres diretos com perigo à baliza do Sporting CP. Eduardo Quaresma, diga-se de passagem, mostrou-se hesitante no princípio, mas acabou por assumir a sua posição de forma destacada.

No que toca aos leões, o primeiro remate à baliza do Vitória SC apenas surgiu à passagem pelo minuto cinco, através de uma tentativa de remate de primeira de Sporar, a falhar o esférico. Na resposta (7’), remate cruzado de Edwards, sai ao lado, mas embate ainda num defesa dos leões.

O jogo estava repartido, com o esquema leonino a permitir uma pressão alta por parte da equipa da casa. O Sporting CP notou a falta de Wendel no seu meio campo, que se viu completamente perdido nos primeiros 15 minutos da partida.

Sporar de pé quente e os erros dos guardiões

Aos 18 minutos, Douglas cedeu a bola a Sporar, numa bola longa para as costas da defesa, o guarda-redes parecia ter o lance controlado, mas sai da área e deixa escapar a bola, deixando-a à mercê de Sporar, que apenas teve de atirar para o fundo da baliza deserta, permitindo a inauguração do marcador.

À meia hora, o ritmo de jogo é pouco. O Sporting CP, no entanto, vai dominando dada à falta de resposta dos vimaranenses que, infelizmente, chegou logo de seguida ao empate.

Depois do erro de Douglas na baliza da equipa da casa, foi a vez Luís Maximiano estar menos bem na partida. O guarda-redes leonino dá mal o esférico, Josepeh recupera e assiste o melhor marcador vimaranense, João Carlos Teixeira, que atira para a igualdade (33′). Tornando-se, esta, uma primeira parte marcada pelos erros dos dois guardiões de cada equipa.

Depois do empate, os leões começaram a apertar o Vitória SC. Um cabeceamento de Coates por cima (38′) e um remate de Vietto (45′), dão por terminados os primeiros 45 minutos.

No regresso do descanso, a pressão continua a ser pintada a verde e branco. Aos 53 minutos, chega o bis de Sporar. Passe de Jovane Cabral para as costas da defesa, que ficou a pedir fora de jogo. O esloveno, ainda assim, dribla Douglas e atira para o fundo das redes. O VAR, momentos depois, confirma a posição legal do atacante leonino. Desta forma, os leões colocavam-se novamente na frente, por 2-1.

Um final em desgaste

Depois do segundo golo, o Sporting CP demonstrou um jogo com menos ritmo, mais calmo e a tentar controlar a partida. No entanto, a equipa de Guimarães não estava satisfeita e continuava a lutar pelo empate, que acabou por chegar aos 68 minutos, pelo pé de Edwards. Remate de Davidson, a esbarrar num adversário, sobra para Edwards, que atira de pé esquerdo, Max não conseguiu evitar o empate.

Antes do final da partida, ambas as equipas denotavam algum destaque e, ainda durante cerca de 15 minutos, o Vitória SC jogou com um elemento a menos, depois da expulsão de Joseph, devido à acumulação de amarelos. Os leões não conseguiram aproveitar a vantagem e o empate acabou mesmo por ser inevitável.

A próxima jornada joga-se em Alvalade, já na próxima sexta-feira (12 de junho), frente ao Paços de Ferreira, pelas 21h15. Neste momento, o Sporting CP continua no quarto lugar da Liga NOS, contando com 43 pontos.

  Comentários