“AGORA JÁ NÃO SE PODE DIZER...”: CRONISTA APONTA RAZÕES PARA SPORTING SER CAMPEÃO E DEIXA ‘BICADA’
Com as celebrações do título ainda a decorrer, Caiado Guerreiro justifica motivos da vitória dos leões
Redação Leonino
Texto
21 de Maio 2024, 12:31
Sporting, festa, campeão, campeões

A menos de uma semana para a final da Taça de Portugal – prova derradeira em que o Sporting medirá forças com o Porto no Estádio Nacional do Jamor no próximo dia 26 de maio, pelas 17h15 –, a celebração da conquista do título da Liga Portugal Betclic parece interminável. No entanto, com razão: como comprovado pelo advogado e cronista do diário desportivo A Bola, João Caiado Guerreiro, “o Clube de Alvalade superiorizou-se com categoria a todos os adversários durante o campeonato”.

“Ganhou todos os jogos que fez em casa, perdeu na Luz e no campo do Vitória, empatou no dragão, com o Rio Ave e Braga. Não vacilou contra equipas de menos gabarito, muito menos naqueles jogos finais do campeonato. Felicitações, pois, a Frederico Varandas, Rúben Amorim, e a todos os jogadores do Sporting. Todos fizeram uma grande época, com destaque para Gyokeres, Pote, Trincão, Coates, Nuno Santos e, de forma muito própria, Paulinho”, começou por dizer.

“O Sporting mereceu o título. Benfica, Porto e Braga foram excelentes adversários, mas o campeão teve de vencer outros clubes de mérito: Vitória de Guimarães, Braga, Moreirense, Arouca, Famalicão e Farense foram adversários dignos tornando este campeonato num dos mais vivos dos últimos anos. Agora, já não se pode dizer que o Sporting, duas vezes campeão em quatro anos, ganhou por causa do Covid”, continuou Caiado Guerreiro.

O advogado chama ainda a atenção para o trabalho dos árbitros e do VAR e das dificuldades sentidas pelos mesmos: “Reconhecimento merecem também os árbitros portugueses, VAR incluído: é muito difícil ser árbitro em Portugal. As pressões são muitas, os ataques são enormes e as opiniões são imensas. Insisto: as conversas entre VAR e árbitro deviam ser públicas para uma total e inequívoca transparência”.

Para terminar, Caiado Guerreiro abordou a conversa da suposta ascensão lenta de Pinto da Costa por Villas-Boas. “Ganhou com mais de 80% dos votos (…) Embora pareça que a tomada de posse de Villas-Boas foi lenta, a verdade é que foi rápida. Nas sociedades ou associações costumam levar mais tempo: as eleições são o que se noticia, mas os mandatos não terminam logo. Terminam no final do prazo que normalmente é no final do mês ou até mais tarde. Renunciar, encontrar substituto, passar a pasta, tudo leva tempo”.

  Comentários