ATLETA DO SPORTING FOI BAIXA, MAS DEU TOQUES EM CAMPO E AMORIM NÃO ESTEVE PARA BRINCADEIRAS (VÍDEO)
Técnico leonino puxou jogador do relvado para junto dos colegas, para que recuperação seguisse sem interferências
Redação Leonino
Texto
19 de Maio 2024, 12:35
Rúben Amorim, Sporting, Chaves

Após a vitória do Sporting ao Chaves (3-0) do passado sábado, 18 de maio, naquela que foi a última partida dos leões na Liga Portugal Betclic, Alvalade presenciou, em grande euforia, a entrega do troféu aos campeões nacionais. Antes do início da cerimónia, Franco Israel estava a dar toques na bola quando Rúben Amorim se aproximou para o ir buscar.

Israel encontra-se em recuperação, estando fora da final da Taça de Portugal frente ao Porto, que terá lugar no Estádio Nacional do Jamor, dia 26 de maio, e tem início agendado para as 17h15. Perante o estado do guardião leonino e as circunstâncias em causa, Rúben Amorim não esteve para brincadeiras quando viu o jogador que não pôde disputar o jogo a brincar com a bola, e logo o arrastou para junto dos colegas de equipa.

Franco Israel, relembre-se, foi submetido a uma intervenção cirúrgica ao menisco do joelho direito no passado dia 5 de maio, dia em que o Sporting se sagrou campeão no sofá, ao ver o Benfica cair frente ao Famalicão (2-0), após ter, na véspera, vencido o Portimonense por 3-0.

O uruguaio, que vinha a assumir a titularidade na defesa das redes leoninas desde que Adán contraiu uma lesão, foi então substituído por Diogo Pinto nos dois últimos duelos, diante do Estoril e do Chaves. O jovem de 19 anos que Rúben Amorim resgatou da equipa B dos verdes e brancos conseguiu, em ambas as ocasiões, manter uma ficha limpa, não deixando nenhuma bola entrar.

Esta temporada, Franco Israel – avaliado em 2,5 milhões de euros – leva 23 encontros realizados pelo Sporting: 10 na Liga Portugal Betclic, seis na Taça de Portugal, quatro na Liga Europa e três na Taça da Liga. Nos 2.070 minutos que disputou, o guardião sofreu 19 golos. O defensor da baliza leonina tem contrato com o Clube de Alvalade até junho de 2027 e uma cláusula de rescisão fixada na ordem dos 45 milhões de euros.

Confira o momento em que Rúben Amorim impediu Israel de continuar a dar toques:

  Comentários