MEMÓRIA LEONINA: SLIMANI E MONTERO INICIARAM A CONQUISTA DA TAÇA
No dia 31 de maio de 2015, a equipa principal do Sporting CP conquistou a 16.ª Taça de Portugal. Os leões bateram o SC Braga nas grandes penalidades
Redação Leonino
Texto
31 de Maio 2020, 15:58

Há precisamente cinco anos, o Sporting CP conquistava a 16.ª Taça de Portugal, no Estádio do Jamor, onde Islam Slimani e Fredy Montero foram cruciais.

No dia 31 de maio de 2015 disputou-se a Final da Taça de Portugal, no Jamor, entre leões e guerreiros do Minho. A equipa verde e branca pretendia conquistar o único troféu da temporada, mas o início demonstrava outro desfecho. Aos 15 minutos, Cédric Soares, o lateral direito leonino na partida, foi expulso e o SC Braga fez o primeiro de grande penalidade. Pouco tempo depois, a equipa na altura orientada por Sérgio Conceição, fez o 2-0.

Os leões, a jogar com menos uma unidade em campo e com uma desvantagem de duas bolas a zero, não conseguiam desbloquear a defensiva bracarense, que tinha Quim entre os postes e em grande forma. Mas quando tudo parecia perdido, o Sporting CP conseguiu dois golos já perto do fim, levando o jogo para prolongamento. Primeiro, foi Islam Slimani ao minuto 84, que deu uma réstia de esperança aos adeptos leoninos. Depois, ao minuto 93, e quando já havia Sportinguistas a abandonar o Estádio Nacional, eis que aparece Fredy Montero a fazer o golo do empate. O jogo terminou pouco tempo depois e os adeptos que se preparavam para ligar os carros e voltar a casa, regressaram para junto de todos os adeptos leoninos, que estavam em êxtase com a recuperação da equipa nos últimos 10 minutos.

No prolongamento, o Sporting CP equilibrou o jogo, fruto da expulsão de um jogador da equipa adversária, mas ainda assim o nulo manteve-se. Nas grandes penalidades, Rui Patrício voltava a ser decisivo para a conquista da 16ª Taça de Portugal da história do Sporting CP. Uma defesa decisiva para o desfecho da partida, tudo isto ao pé coxinho devido a uma lesão que sofrera durante o jogo.

O Sporting CP celebrava assim uma conquista suada por 3-1 nas grandes penalidades – mas merecida – depois de recuperar uma desvantagem de dois golos nos últimos 10 minutos e com um jogador a menos. O leão rugiu mais alto em 2015 e os leões, comandados por Marco Silva, trouxeram o troféu para Alvalade.

  Comentários