NO BOM CAMINHO: BERNARDO AYALA FALA EM INVESTIMENTO NA SAD DO SPORTING E REVELA PONTOS APROVADOS NA ASSEMBLEIA GERAL
Presidente da MAG do Clube de Alvalade falou à imprensa após Reunião Magna dos leões
Redação Leonino
Texto
6 de Fevereiro 2024, 20:59
Bernardo Ayala, Sporting

Teve lugar esta terça-feira, dia 6 de fevereiro, a Assembleia Geral de acionistas da SAD do Sporting. A Reunião Magna dos leões decorreu pelas 18h00, no Auditório Artur Agostinho, situado no Estádio José Alvalade, e teve, como ordem de trabalhos, o empréstimo obrigacionista, a conversão dos VMOC e o aumento do capital social da SAD verde e branca. No final da sessão, Bernardo Ayala falou à imprensa presente.

“A Assembleia correu muito bem. Tivemos três pontos na ordem de trabalhos, sendo que os dois primeiros respeitavam a antecipação dos prazos de conversão dos VMOC, antecipação para entre hoje e 15 de fevereiro. Ambos os pontos foram aprovados por larguíssima maioria: 99.98%”, começou por dizer o presidente da MAG do Sporting.

“O terceiro ponto da ordem de trabalhos respeitava um pedido do Conselho de Administração, de aprovação do empréstimo obrigacionista, que também foi aprovado com 99.98% dos votos. Com todos os pontos aprovados por larga maioria, pode dizer-se que a Assembleia foi um sucesso”, garantiu.

Quanto aos 88% do capital social da SAD, detidos pelo Sporting, Ayala revela que “há um conjunto de formalidades que terão de ser cumpridas nos próximos dias (para tornar a posse oficial) e que serão, efetivamente cumpridas, tanto quanto sei, a curto prazo, o mais tardar dentro da próxima semana. O Clube fica detentor de uma larguíssima maioria”.

Sobre o eventual investimento do Chelsea, o dirigente dos leões admite que o assunto “não foi discutido, nem fez parte dos trabalhos. Aliás, não houve nenhuma pergunta sobre o tema. É evidente que a partir de o momento em que o Clube é detentor de 88% do capital social, há um conjunto de coisas que podem ser feitas com mais facilidade do que se fosse detentor apenas de 70 ou 65%”, explicou.

“Há uma margem que o Sporting passou a ter. Uma margem, no fundo, de utilização de todo esse capital, designadamente na busca de um investidor estratégico, se for esse o caso, sem que o Clube perca o controlo da SAD. Os 88% permitem isso mesmo. Mas como disse, o tema não fez parte da ordem de trabalhos e teremos de aguardar para ver quais são os passos do Conselho de Administração”, terminou Bernardo Ayala.

  Comentários