SONHO EUROPEU ESTEVE PERTO, MAS LEÕES ACABAM DERROTADOS
Sporting CP foi derrotado, por 70-64, pelo KK Igokea
Duarte Pereira da Silva
Texto
25 de Setembro 2020, 20:03
summary_large_image

A equipa principal de basquetebol do Sporting CP foi, esta sexta-feira, 25 de setembro, derrotada pelo KK Igokea, por 70-64. Apesar da derrota, os leões deixaram uma boa imagem e estiveram perto de garantir uma vaga na fase de grupos da Liga dos Campeões de basquetebol. A turma de Alvalade mantém-se nas competições europeias e disputará a FIBA Europe Cup.

Após ter vencido o Fribourg Olympic, por 84-78, o Sporting CP estava a apenas uma vitória de garantir uma vaga na Liga dos Campeões, feito inédito no basquetebol português. Para isso, os leões teriam de levar de vencida os bósnios do KK Igokea.

O KK Igokea inaugurou o marcador, mas, na resposta, John Fields fez os dois primeiros pontos verdes e brancos. Nos primeiros minutos, as duas equipas iam acusando o nervosismo dos minutos iniciais e cometendo alguns erros no ataque. O primeiro triplo da partida saiu das mãos de João Fernandes, colocando o Sporting CP a vencer por 7-5.

O conjunto de Luís Magalhães – que, devido a estar infetado com COVID-19, não acompanhou a equipa – tentava acelerar o jogo, de forma a explorar a maior lentidão do KK Igokea, mas faltava calma na manobra ofensiva. Porém, os bósnios, sobretudo no ressalto ofensivo, iam equilibrando a contenda.

Os leões chegaram rapidamente às cinco faltas coletivas, o que facilitou a vida ao KK Igokea. Naturalmente, os rapazes de verde e branco diminuíram a intensidade defensiva e os bósnios conseguiram uma vantagem de cinco pontos (16-11). Flávio Nascimento, treinador adjunto da turma de Alvalade, foi obrigado a pedir um desconto. Até final do primeiro quarto, o resultado não sofreu qualquer alteração. Pedia-se alguma tranquilidade por parte do conjunto leonino no ataque.

No recomeço, o KK Igokea voltou a entrar melhor e alargou a vantagem para sete pontos (21-14), mas os leões responderam com quatro pontos sem resposta (21-18) e o treinador dos bósnios pediu um desconto de tempo. Por esta altura, as duas equipas iam-se mostrando pouco eficazes e o marcador esteve alguns minutos sem mexer. Todavia, depois do reforço Jalen Henry, no ressalto ofensivo, ter sido carregado em falta, os leões voltaram a igualar o resultado (21-21).

Contudo, após ter encostado no marcador, a equipa do Sporting CP demonstrou alguma ansiedade e voltou a deixar os bósnios distanciaram-se (25-21) e Flávio Nascimento pediu novo desconto de tempo e a reação dos seus comandados foi a melhor. Os leões somaram seis pontos sem resposta (27-25), com Francisco Amiel em destaque. Logo de seguida, os rapazes de verde e branco foram penalizados com duas faltas técnicas, após a equipa de arbitragem ter assinalado uma falta algo duvidosa a Amiel, o que facilitou a vantagem com que o KK Igokea chegou ao intervalo (30-27).

Nos primeiros dois quartos, ficava a sensação de que os bósnios estavam perfeitamente ao alcance do Sporting CP. Para tal, o conjunto leonino teria de melhorar os índices de eficácia na hora de atirar ao cesto (38% para dois pontos e apenas 20% para três pontos) e reduzir os turnovers (dez contra seis do adversário). No capítulo individual, Travante Williams, com nove pontos (50% de eficácia), era o melhor marcador dos leões. John Fields, com seis pontos (75% de acerto) e sete ressaltos era o leão que se seguia.

No arraque do segundo tempo, Jackie Carmichael, que muitas dores de cabeça estava a dar à defensiva verde e branca, marcou os cinco primeiros pontos dos bósnios. Em jeito de resposta, Jalen Henry, com um triplo e um roubo de bola, aproximou, de novo, os leões no marcador (36-34). O reforço para esta temporada a não deixar os créditos por mãos alheias.

Com mais de metade do terceiro quarto disputado, o cenário era idêntico ao da primeira parte: o Sporting CP, também por mérito do adversário, mostrava algumas dificuldades no ataque. Porém, os leões mostravam grandes melhorias no processo defensivo e, dessa forma, aproximaram-se do KK Igokea (41-39).

No final do penúltimo quarto, os comandados de Luís Magalhães subiram a eficácia de três pontos, com Jalen Henry e Shakir Smith a acertarem dois e um lançamentos, respetivamente. Desta forma, os leões entraram para os últimos dez minutos na frente do marcador (47-46).

No último quarto, o Sporting CP entrou com o pé esquerdo e os bósnios, que estavam com uma desvantagem de um ponto, passaram para a frente do marcador (57-49). Flávio Nascimento decidiu, assim, parar os destinos da partida.

No reatar, o senhor dos grandes momentos decidiu aparecer: Travante Williams. Em cerca de 15 segundos, o norte-americano encestou dois triplos e aproximou os rapazes de verde e branco no marcador (59-55). Quando se pensava que os leões iriam começar uma recuperação memorável, o conjunto de Flávio Nascimento cometeu bastantes turnovers e quase que entregou a partida ao KK Igokea.

O Sporting CP saiu, assim, derrotado, por 70-64, frente aos bósnios, que seguem para a fase de grupos da Liga dos Campeões de basquetebol.

De qualquer forma, e apesar do sabor amargo do desaire, a turma de Alvalade deixou uma boa imagem de si própria e mantém-se nas competições europeias (FIBA Europe Cup). Os leões integram o grupo C, juntamente com o Ironi Ness Ziona (Israel), Szolnoki Olajbanjasz (Hungria) e BM Slam (Polónia).

  Comentários