CLUBE QUE VENCEU SEIS LIGAS DOS CAMPEÕES QUER LEVAR RÚBEN AMORIM DO SPORTING, MAS TREINADOR DOS LEÕES É... SEGUNDA OPÇÃO
Prestação do técnico ao serviço do emblema de Alvalade não passa despercebida e lista de interessados aumenta
Redação Leonino
Texto
12 de Fevereiro 2024, 18:34
Rúben Amorim, Sporting

O Liverpool segue numa busca incessante para garantir o substituto de Jurgen Klopp, que vai deixar Anfield no final da época. Rúben Amorim, treinador do Sporting, é um dos nomes mais falados para assumir o comando técnico do emblema que já venceu seis Ligas dos Campeões, mas apenas atrás de Xabi Alonso. No entanto, a contratação do espanhol, atualmente ao serviço do Bayer Leverkusen, avizinha-se muito complicada.

No último fim-de-semana, após a vitória dos farmacêuticos, diante do Bayern Munique, por 3-0, Simon Rolfes, diretor desportivo, voltou a dar um ‘murro na mesa’: “Em primeiro lugar, devido ao contrato. Além disso, ele [Xabi Alonso] sente-se confortável. Ele e a família sabem o que têm no clube. Também tem uma equipa muito boa. Temos uma perspetiva muito boa, para o próximo ano, e não haverá alterações à equipa”.

No meio de tudo isto, Frederico Varandas já fez saber ao Bayer Leverkusen, mas também a outros eventuais interessados, que Rúben Amorim só abandona o Sporting mediante o pagamento da cláusula de rescisão, o que, para clubes estrangeiros, significa o pagamento de 20 milhões de euros.

Lembrar que, para lá do Liverpool, Rúben Amorim tinha sido apontado ao comando técnico do Barcelona, mas Deco acabou por afastar essa possibilidade: “Sei que Rúben Amorim está a fazer um bom trabalho no Sporting e que, além disso, joga com um estilo semelhante ao nosso. Mas também tem muito pouca experiência”.

Rúben Amorim chegou ao Sporting em março de 2020, oriundo do Braga, a troco de uma verba a rondar os 10 milhões de euros. Desde então, o técnico liderou os leões em 192 encontros, tendo vencido 134, empatado 28, perdido 30 e conquistado um Campeonato Nacional (2020/21), duas Taças da Liga (2020/21 e 2021/22) e uma Supertaça Cândido de Oliveira (2021).

  Comentários