EMPATE EM VILA DO CONDE ATIRA LEÃO PARA FORA DO PÓDIO
Lucas Piazón inaugurou o marcador, mas Jovane Cabral fez o empate. Sporting CP cai para o quarto lugar da Liga NOS
Duarte Pereira da Silva
Texto
15 de Fevereiro 2020, 22:36
summary_large_image

O Sporting CP empatou esta noite, 15 de fevereiro, a uma bola com o Rio Ave FC. A deslocação a Vila do Conde não podia ter começado de pior forma e, aos dois minutos, Lucas Piazón fez o 1-0. Já no segundo tempo, aos 85 minutos, Jovane Cabral, de grande penalidade, fez o 1-1 e fechou as contas. Com este empate – o terceiro esta época –, os leões caem para o quarto lugar da Liga NOS, com 36 pontos.

As memórias dos encontros frente ao Rio Ave FC não eram as melhores – duas derrotas em tantos jogos com os vila condenses esta época – e o imaginário dos jogadores do Sporting CP ficou ainda pior logo no começo do jogo. Ainda nem Jorge Silas tinha tido tempo para se acostumar ao banco de suplentes, quando Lucas Piazón apareceu completamente sozinho na pequena área verde e branca. O brasileiro só teve de encostar. Estava inaugurado o marcador em Vila do Conde. Neste lance, nota para o espaço concedido pela defesa leonina a Filipe Augusto, no momento do cruzamento, e depois a Al Musrati, que teve todo o tempo do mundo para assistir Piazón.

Aos 8 minutos, perante a inexistência de linhas de passe, Sebastián Coates fintou tudo e todos e quase marcou. O uruguaio nem precisou de rematar porque, em situação de desespero, Matheus Reis, inadvertidamente, quase fazia autogolo, mas Pawel Kieszek evitou o golo verde e branco com uma excelente defesa. A verdade é que o conjunto de Silas pouco ou nada criava e foi mesmo o Rio Ave FC que voltou a estar perto do golo. Numa transição rápida, Nuno Santos rematou rasteiro para boa defesa de Luís Maximiano.

Com metade da primeira parte jogada, para lá da situação de Coates, os leões não tinham criado qualquer ocasião de golo. Os comandados de Silas pareciam completamente perdidos dentro das quatro linhas e, apesar de até terem um pouco mais de bola, a utilização que faziam da mesma era quase nula. Por sua vez, a turma de Carlos Carvalhal dominava o encontro a seu belo prazer.

Contudo, aos 36 minutos, Eduardo Henrique quis dar um pontapé na desinspiração leonina. Com espaço, o médio brasileiro disparou uma autêntica bomba em direção à baliza defendida por Kieszek, mas o polaco, com um ligeiro desvio, fez com que a bola embatesse com estrondo na barra e evitou, assim, o golo leonino. Até ao intervalo, pouco mais houve para contar e o Sporting CP recolheu aos balneários a perder por 1-0.

Na pausa, Jovane Cabral esteve em aquecimento, mas Silas acabou mesmo por não mexer na equipa após os primeiros 45 minutos. A bola voltou a rolar, mas o cenário era praticamente o mesmo do primeiro tempo. Aos 57 minutos, perante a incapacidade da equipa, o treinador do Sporting CP acabou mesmo por retirar o desinspirado Rafael Camacho e lançou Jovane. Em abono da verdade, Silas limitou-se a trocar o interveniente em causa e manteve o sistema tático. A equipa seguiu-lhe o exemplo e continuou a mostrar pouco dinâmica. Neste início de segunda parte, o mais próximo que os leões estiveram do golo foi por intermédio de Cristian Borja. No entanto, o remate do colombiano saiu bem por cima.

Com mais de uma hora decorrida, o Sporting CP continuava a demonstrar pouca capacidade para desequilibrar o Rio Ave FC. Todavia, as coisas haveriam de piorar. Aos 71 minutos, Coates carregou em falta Mehdi Taremi, viu o segundo cartão amarelo e o subsequente vermelho. Recorde-se que na primeira volta o uruguaio também tinha sido expulso diante dos vila condenses e cometido três penalties precisamente sobre Taremi.

Com 15 minutos para o fim, Silas voltou a tentar mexer com o jogo e efetuou uma dupla substituição: Eduardo Henrique e Idrissa Doumbia cederam o lugar a Gonzalo Plato e Rodrigo Battaglia. Aos 85 minutos, contra todas as expectativas, e mesmo com menos um homem, os leões haveriam de chegar ao golo. Yannick Bolasie arrancou pelo corredor esquerdo e, dentro da grande área, foi carregado em falta por Toni Borevkovic. O árbitro da partida, Fábio Veríssimo, não teve quaisquer dúvidas em assinalar grande penalidade. As imagens televisivas mostram que a decisão foi correta. Na conversão do castigo máximo, Jovane Cabral disparou para o fundo das redes. Pawel Kieszek para um lado e bola para o outro. Estava restabelecido o empate em Vila do Conde.

Em cima do minuto 90, Carlos Mané apareceu na cara de Luís Maximiano, mas o jovem guardião verde e branco fez a mancha ao extremo do Rio Ave FC e impediu males maiores. Uma extraordinária intervenção de Max. Com sete minutos de compensação dados por Fábio Veríssimo, Taremi tentou cavar uma grande penalidade, mas o árbitro decidiu, e bem, mostrar o cartão amarelo ao iraniano por simulação.

O jogo terminou mesmo com o empate a uma bola e o Sporting CP voltou a ceder pontos fora de portas. Em 11 jogos fora do Estádio José de Alvalade, os leões perderam pontos em seis ocasiões. Com este empate, o conjunto de Silas cai para o quarto lugar da Liga NOS, com 36 pontos, a um do SC Braga, que venceu o SL Benfica.

No próximo domingo, 23 de fevereiro, pelas 17h30, o Clube de Alvalade recebe o Boavista FC.

Fotografia do Sporting CP

  Comentários