ESTÁ O CALDO ENTORNADO! MINISTÉRIO PÚBLICO 'RECUPERA' CONFUSÃO NO DRAGÃO E ACUSA JOGADOR DO SPORTING DE AGRESSÃO FRENTE AO PORTO
Processo disciplinar arquivado em 2022 foi agora recuperado e pode deixar craque dos leões com suspensão pesada
Redação Leonino
Texto
7 de Março 2024, 22:48
Pedro Gonçalves, Hidemasa Morita, Evanilson, Sporting, Porto, Dragão

O Ministério Público voltou a trazer a lume um caso arquivado em 2022. A acusação diz respeito à alegada agressão de Matheus Reis, ala do Sporting, a um apanha-bolas – que tinha à data 13 anos de idade – na visita dos leões ao Dragão, para enfrentar o Porto. O brasileiro é agora arguido por ofensa à integridade física, e pode vir a enfrentar uma reabertura do caso por parte do Conselho de Disciplina da FPF.

Segundo a imprensa, o desfecho poderia ter sido mais pacífico caso Matheus Reis tivesse sido julgado logo após o sucedido. Contudo, tendo o processo sido arquivado a 15 de novembro de 2022, se for agora reaberto e resultar em sanção em tribunal, isso poderá significar também castigos a nível desportivo.

Mesmo passado tanto tempo, a punição nesse âmbito pode ainda ocorrer, e a razão é fácil de entender. Sampaio e Nora, especialista em direito desportivo, explica: “O prazo de prescrição disciplinar de um comportamento que também é crime é o mesmo do crime”, diz, em declarações ao Record.

Uma vez que o apanha bolas era menor de idade, o suposta atitude do defesa do Sporting insere-se no enquadramento legal necessário a ser considerado crime, por ofensa à integridade física. O MP alega que Matheus Reis não só estava a par da idade do agredido, como agiu propositadamente, de forma “livre, voluntária e consciente”.

A acusação afirma ainda, num excerto do despacho citado pelo Porto Canal – estação afeta aos Dragões, que tentam ‘vencer o caso’ – que o arguido embateu “propositadamente com a sua cabeça e antebraço esquerdo contra o tronco” do menor. Reunindo as condições assim descritas, o MP defende que o jogador do Sporting deveria saber que incorreu em crime “proibido e punido por lei”.

Imagem de destaque
  Comentários