Corner Left

Receba, em primeira mão, as principais notícias do Leonino no seu WhatsApp!

WhatsApp Seguir

Futebol

PARA TODAS AS GERAÇÕES

Os mais novos nunca tinham visto, mas os que andam cá há muitos anos também já estavam ‘esquecidos’ do que era ver o SPORTING CAMPEÃO

Leonino - Onde o Sporting é notícia
Leonino - Onde o Sporting é notícia

  |

Icon Comentário0

Esta semana, nas redes sociais, li inúmeras piadas ao facto de o Sporting estar perto de festejar a conquista da Liga 19 anos depois. Como era o país em 2002, por confronto ao que é hoje. Ri-me com quase todas essas piadas, especialmente ‘postadas’ por portistas e benfiquistas. Ao longo dos 53 anos que levo de vida, lembro-me doSporting contratar o ‘Tazanov’, grande ponta-de-lança búlgaro quando os Leões estavam 9 pontos atrás do Benfica (isto nos anos 80), lembro-me do início do ‘para o ano é que é’, e nunca esqueci, já na década de 90, que o Sporting ‘só dura até ao Natal’. Que me lembre, nunca reagi mal a essas picardias. Fazem parte da rivalidade que só existe no futebol, dada a força brutal na modalidade.


Claro que a cada ano passado sem vencer o campeonato surgia sempre uma tristeza. Mas, lá está, ‘para o ano é que é’. E a militância renovava-se. Em rigor, apesar de ter consciência de títulos anteriores, os que posso dizer que ‘vivi’ em pleno foram os de 1979/80 (Fernando Mendes e Rodrigues Dias), 1981/82 (Malcolm Allison), 1999/2000 (Materazzi, Augusto Inácio), 2001/02 (Boloni), e agora 2020/21 (Rúben Amorim). Cinco campeonatos. Gerações anteriores à minha festejaram mais, os nascidos na década de 1980 viveram menos alegrias e para os ‘milenials’ esta foi a primeira vez. Mas nada disto nos impediu de crescer em número de Sócios e adeptos. Porque um sportinguista é-o de forma incondicional e quase sempre por ‘herança’, não por escolha feita na sequência de títulos.


Ontem, o que mais chamava à atenção nas inúmeras imagens televisivas, antes e depois do jogo, era a média etária de milhares de sportinguistas que saíram às ruas. Só se espantou quem não é dos nossos. Os que lá estão a cada semana (antes da pandemia, claro), no Estádio e no Pavilhão, sabem bem dessa realidade há muito tempo. A nossa força está precisamente no facto de não sermos Sporting apenas porque ganhamos. Não fosse assim e os maiores períodos de seca (17 e 18 campeonatos sem ganhar) teriam sido fatais.


Por tudo isto, esta vitória é merecida por todas as gerações de sportinguistas. As gerações mais novas nunca tinham visto, mas mesmo as outras já estavam ‘esquecidas’ do que era ver o SPORTING CAMPEÃO. Os primeiros não hesitaram em ser Sporting mesmo sem títulos e os outros nunca viraram as costas ao Clube.

Evidente que depois deste título renovamos sempre o desejo de ter nova festa muito em breve, de preferência já no próximo ano, não esquecendo, contudo, que jogamos um campeonato que conta com outros dois competidores de nível altíssimo. Numa coisa creio que todos estaremos de acordo: um Clube de tamanha dimensão não pode voltar a jogar 17 ou 18 campeonatos consecutivos sem os ganhar. É festejar no presente, claro, sem deixar de pensar no futuro e como conquistá-lo.


Na hora da vitória, o normal é distribuir os méritos por todos. Não concordo, porque o mérito deste título do Sporting é quase todo, sem qualquer dúvida, de Rúben Amorim. No futebol, há poucos treinadores que fazem as equipas e equipas que fazem muitos treinadores. Rúben, pelo que se viu em Braga, e agora no Sporting, é claramente um treinador que faz equipas. Logo, a larga fatia do mérito é dele.

 

P.S. Um elemento do Corpo de Intervenção a pontapear um adepto do Sporting pelas costas, quando este apelava a outros adeptos para terem calma, é também uma imagem forte do dia de ontem. E é igualmente uma boa imagem de um país que cheira a estrume, porque esse odor emana de quem o governa. A concentração de adeptos em redor do Estádio estava anunciada de forma pública há vários dias. Se as autoridades entendiam que a luta para travar a pandemia aconselhava a que não houvesse tal concentração, então não a autorizassem, fizessem um cerco ao Estádio. Permitir juntar ali uma multidão e depois, a meio, tentar dispersá-la com gás pimenta e bastonadas, é simplesmente vergonhoso. Ou não. Mas ainda não me consegui habituar à ideia de que em Portugal já nada é vergonhoso porque... quem manda habituou-se a não ter vergonha há muito tempo.

 

P.S. 2. Ao longo da madrugada ouvi duas pérolas, do mesmo comentador, na SIC Notícias: ‘O Sporting, em vez de ir buscar uma palete de jogadores, socorreu-se dos que tinha em casa’. A sério? Adán, Feddal, Porro, Antunes, João Mário, Nuno Santos, Pedro Gonçalves, Paulinho, Bruno Tabata, Matheus Reis e João Pereira foram contratados este ano, não estavam ‘em casa’. Segunda pérola: ‘O Sporting apostou numa equipa muito jovem e ganhou’. Adán (33 anos), Coates (30), Feddal (31), Palhinha (25), João Mário (28), Nuno Santos (25) e Paulinho (28 anos), como bem sabemos, são jovens promissores em início de carreira... Não custa nada fazer o trabalho de casa para evitar dizer tais disparates.


Futebol

COMO ASSIM? BARCELONA QUER LEVAR GYOKERES DO SPORTING, MAS NÃO É PARA JÁ

Internacional sueco é uma das grandes figuras dos leões e Rúben Amorim não quer perder estrela da companhia

Barcelona estará muito atento a Viktor Gyokeres, mas Sporting não está para brincadeiras
Barcelona estará muito atento a Viktor Gyokeres, mas Sporting não está para brincadeiras

  |

Icon Comentário0

O Barcelona está muito interessado em garantir a contratação de Viktor Gyokeres, mas não avançará pelo internacional sueco neste mercado de transferências. Segundo o jornal ‘Sport’, os culés acreditam que em 24/25 Robert Lewandowski dará conta do recado, mas já pensam no futuro.


Para lá do Barcelona, o Atlético de Madrid também estará a seguir de muito perto Viktor Gyokeres. Todavia, a turma de Simeone terá virado atenções para outros alvos, dadas as exigências do Sporting.


Chelsea e PSG, segundo as últimas informações, são os outros dois emblemas que estarão a equacionar avançar pelo internacional sueco. Contudo, Frederico Varandas já fez saber que só abdica de Gyokeres pela cláusula de rescisão, ou seja, 100 milhões de euros.


Esta temporada, ao serviço do Sporting, Viktor Gyokeres – avaliado em 65 milhões de euros – leva 48 encontros realizados (3.957 minutos), 41 golos e 14 assistências, sendo uma das grandes figuras da turma de Rúben Amorim. O avançado tem contrato com os leões até junho de 2028 e a maior cláusula de rescisão do plantel, fixada na ordem dos 100 milhões de euros.

Inicialmente, Sporting pagou 20 milhões, mais 4 por objetivos e custos de intermediação, por Viktor Gyokeres. Contas feitas, ao dia de hoje, o ponta de lança já custou 24,8 milhões aos cofres leoninos, sendo que existem, ainda, 3 milhões em objetivos por alcançar, o que pode atirar o investimento no internacional pela seleção da Suécia para bem perto dos 30 milhões de euros (27,8).



Futebol

PSG PREPARA-SE PARA ENTRAR EM CENA POR BRUNO FERNANDES E ESTRAGAR PLANOS A CRISTIANO RONALDO

Antigo jogador do Clube de Alvalade pode ser protagonista de uma das grandes novelas deste mercado

PSG está interessado em Bruno Fernandes e pode estragar planos do Al Nassr de Cristiano Ronaldo
PSG está interessado em Bruno Fernandes e pode estragar planos do Al Nassr de Cristiano Ronaldo

  |

Icon Comentário0

Bruno Fernandes estava nos planos do fundo de investimento saudita que detém o Al-Nassr, de Cristiano Ronaldo, mas o PSG pode estragar os planos do capitão da Seleção Nacional, dado que os franceses estão a ponderar avançar para a contratação do antigo jogador do Sporting. Em sentido contrário, Ugarte pode rumar a Inglaterra.


De acordo com o conceituado jornal francês 'L'Équipe’, os responsáveis do PSG estão apenas à espera de fechar o dossiê de João Neves, do Benfica, para depois avançar para a contratação de Bruno Fernandes, não tendo sido, ainda, adiantados quais os valores que podem vir a estar envolvidos.


Em 2023/24, ao serviço do Manchester United, Bruno Fernandes – que está avaliado em 70 milhões de euros – alinhou em 48 partidas: 35 na Premier League, seis na Liga dos Campeões, seis na Taça de Inglaterra e uma na Taça da Liga. Nos 4.285 minutos que disputou, o médio contabilizou 15 golos e 13 assistências na conta pessoal, sendo uma das grandes figuras da turma liderada por Erik Ten Hag.


Bruno Fernandes, recorde-se, saiu do Clube de Alvalade – onde chegou na época de 2017/2018, proveniente de um acordo com os italianos da Sampdoria, por cerca de 9,7 milhões de euros - duas épocas e meia após a sua chegada e rumou a Manchester, aos red devils, onde atua desde então.

Com a Listada verde e branca, Bruno Fernandes realizou 137 encontros, marcou 63 golos, fez 47 assistências e conquistou uma Taça de Portugal e duas Taças da Liga, fazendo as delícias dos adeptos leoninos.



Modalidades

BICAMPEÕES

Sporting é a primeira equipa portuguesa de hóquei em patins a vencer a Liga Europeia pela terceira vez

Leonino - Onde o Sporting é notícia
Leonino - Onde o Sporting é notícia

  |

Icon Comentário0

No sábado, o único dérbi que me prendia a atenção e me dava alguma ansiedade era o da noite. O Sporting-Benfica de hóquei em patins a contar para a meia-final da Liga Europeia. De tal forma que ‘passei’ pelo dérbi de futebol com uma tranquilidade que nem foi alterada quando o resultado estava em 3-0 ou 4-1. Sim, a possibilidade de terminar a Liga de futebol sem derrotas era aliciante. Mas Rúben Amorim estava mais interessado, e bem, em perceber num jogo de elevado grau de dificuldade como se comportava a dupla Daniel Bragança/Matheus Nunes. Porque na próxima época, sem o descanso europeu a meio da semana e sem a certeza de poder contar com João Mário, talvez esses jogadores sejam chamados mais vezes ao onze... ou não, depende da leitura que o treinador fez ao desempenho deles, não podendo a mesma ser elaborada à margem do facto de o Benfica ter promovido naquele sector do terreno uma luta de 3 para 2, com a colocação de Pizzi sempre perto de Weigl e Taarabt, o que se alterou de certa forma aos 53’ com a troca do marroquino por Gabriel. Mas deixemos o futebol e vamos lá ao que interessa.


Na década de 1970 era fácil ter enorme paixão pelo hóquei em patins. Não sei, para dizer a verdade, se gostava mais que o meu pai me levasse ao hóquei ou ao futebol. Ver o Chana passar por trás da baliza, fazer a picadinha e conseguir o golo com um pequeno toque ‘aéreo’ ao primeiro poste era o momento especial pelo qual sempre esperava. E raro era o jogo em que o craque me dececionava por não o concretizar. Dizia-me o meu pai que o Livramento é que era o verdadeiro génio da ‘coisa’. Mas eu só tinha olhos para os golos do Chana e para as defesas do Ramalhete. E, claro, lá estive aos 9 anos na meia-final de 76/77 contra o Voltregá, como não faltei à primeira mão da final com o Villanueva do fantástico Carlos Trullols (entre ele e o Ramalhete é melhor não discutir qual era melhor, eram os dois autênticos muros à frente da baliza). O Sporting era indiscutivelmente a melhor equipa da Europa. De tal forma que a Seleção de Portugal foi campeã europeia nessa altura com o cinco leonino.


Quando o Sporting deixou de ter equipa sénior de hóquei em patins, a meio da década de 1990 chamei muitos nomes a muita gente. Para mim, era impensável terminar com a segunda modalidade que mais troféus internacionais dera ao Clube, entre eles o de campeão europeu. Mas ser sportinguista também é isto, ter de assistir a episódios vergonhosos e seguir o caminho com a convicção de que os dias de sol serão mais que os de chuva. E a verdade é que o sol voltou a brilhar pelo trabalho insistente de Gilberto Borges, peça-chave para o regresso da modalidade a partir de 2010 (na 3ª divisão), embora, de forma oficial, o hóquei em patins só voltasse à gestão do Clube em 2014. E logo nesse ano foi contratado Ângelo Girão e seria conquistada a Taça CERS. Foi o primeiro passo.


Em 17/18, ao fim de 30 anos de seca, o hóquei voltou a vencer o título português. Um ano depois, em 2019, nova marca cairia, o Sporting vencia a Liga Europeia 42 anos depois do ‘cinco mágico’ (Ramalhete, Sobrinho, Rendeiro, Livramento e Chana) o ter conseguido pela primeira vez.

Depois disto, restava a afirmação definitiva: ser a primeira equipa portuguesa a revalidar o título e ser a única equipa portuguesa com três triunfos na principal competição, ultrapassando os dois de FC Porto e Benfica.


Foi com isto tudo na cabeça que assisti ao emocionante jogo com o Benfica, acreditando sempre na vitória apesar de andarmos de desvantagem em desvantagem... até à vantagem final nos penáltis.

Bom presságio: em 2019 (lá estive, agora no Pavilhão João Rocha, com mais 42 anos do que o miúdo de 9 em 1977) também passámos pelo Benfica na meia-final antes de enfrentarmos o FC Porto no jogo final. Pela televisão e não ao vivo, não foi a mesma coisa. Mas no final a alegria por ver o Sporting bicampeão (mais Gilberto Borges [diretor da secção], João Alves [secretário técnico], Paulo Freitas [treinador] e os jogadores Girão, Platero, Toni Pérez, Zé Diogo, Romero, Pedro Gil e Ferrant-Font, nomes que se repetem nos dois títulos) valeu por tudo.

As últimas semanas foram em tons de verde e branco. No final desta, o futebol feminino pode ser campeão nacional, se vencer o Benfica na última jornada A equipa de basquetebol começará a discutir o título frente ao FC Porto e a de futsal, se tudo correr sem surpresas, também estará na final do playoff. Esta mesma equipa de hóquei em patins segue em vantagem sobre o Óquei de Barcelos para atingir a final. Vamos acreditar. Em breve teremos mais dias de sol para sorrir.


envelope SUBSCREVER NEWSLETTER


NEGÓCIO FECHADO: BARCELONA ROUBA JOVEM PROMESSA AO SPORTING
Futebol

NEGÓCIO FECHADO: BARCELONA ROUBA JOVEM PROMESSA AO SPORTING

 

Icon Comentário0
IMPRENSA INTERNACIONAL GARANTE QUE SPORTING ESTÁ MUITO PERTO DE FECHAR FOTIS IOANNIDIS
Futebol

IMPRENSA INTERNACIONAL GARANTE QUE SPORTING ESTÁ MUITO PERTO DE FECHAR FOTIS IOANNIDIS

 

Icon Comentário0
EX RESPONSÁVEL DO BENFICA APLAUDE DECISÃO DE FREDERICO VARANDAS E RÚBEN AMORIM NO SPORTING
Futebol

EX RESPONSÁVEL DO BENFICA APLAUDE DECISÃO DE FREDERICO VARANDAS E RÚBEN AMORIM NO SPORTING

 

Icon Comentário0